COMPARTILHE

O antigo embaixador moçambicano na Rússia Bernardo Chirinda está a ser acusado de desvio de fundos entre os anos 2003 e 2012, num valor total de mais de 197 mil dólares.

É  também acusado de ter orquestrado um “verdadeiro saque”, de acordo com o juiz de causa Rui Davane, na leitura dos autos.

Em caso de se provar os crimes pelos quais são acusados, podem ser condenados a penas que variam de 8 a 12 anos. Este é o segundo caso em que um antigo embaixador moçambicano está envolvido em corrupção. Em março, Amélia Sumbana, antiga embaixadora de Moçambique nos Estados Unidos, foi condenada a 10 anos pelos crimes de abuso de cargo, peculato e branqueamento de capitais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here